domingo, 6 de maio de 2018

A propósito das quotas mínimas por género na Administração Pública.

"Porque é que não se impõem “quotas” nos ofícios de carpinteiro (de limpos e de sujos), camionista (longo e médio curso), trolha, canalizador, futebolista, guarda-nocturno, mineiro, pedreiro, sapateiro, palhaço, etc.?"

Alberto Gonçalves, Observador

Sem comentários:

Enviar um comentário